Cidadania e gratuidade: uma recepção do documento Do Conflito à Comunhão no horizonte da Teologia Pública

Jefferson Zeferino

Resumo


Este trabalho pensa caminhos possíveis de desenvolvimento teológico diante do marco dos 500 anos da Reforma que traz consigo elementos ecumênicos inéditos na história das igrejas. Desta forma, percebe-se o ecumenismo como possibilidade de se pensar as heranças do protestantismo no horizonte das demandas atuais da sociedade. Como meio de aproximação emerge aquilo que se tem chamado de Teologia Pública em especial a partir da assim chamada Teologia da Cidadania. A partir da análise do documento Do Conflito à Comunhão (DCAC), percebe-se a graça como elemento fundante de sua elaboração. Aspecto também presente na formulação barthiana sobre a graça. Enquanto resultado da relação dialógica das referências citadas, percebem-se a gratuidade e o serviço como elementos propulsores para um pensamento teológico coerente com seus variados públicos (igreja, academia, sociedade).

Palavras-chave


Teologia Pública; Diálogo ecumênico; Teologia da Cidadania; Gratuidade; Ética

Texto completo:

PDF