Gênero e sexualidade na época do pluralismo: um desafio às religiões ins-titucionalizadas e universalistas

Leno Francisco Danner

Resumo


Defenderei que as religiões institucionalizadas e universalistas, ao estilo da Igreja Católica, possam abandonar – ou pelo menos relativizar – seus discursos, valores e controles sobre gênero e sexualidade, de modo a servirem como plataforma de enfrentamento em relação a todas as formas de violência envolvendo gênero e sexualidade, muitas delas fundadas em possíveis interpretações de textos religiosos. Isso significa que as instituições religiosas de um modo geral e a Igreja Católica em particular precisarão renunciar às fundamentações essencialistas e naturalizadas nesse campo da vida cotidiana, deixando as questões de gênero e de sexualidade como fazendo parte irremediável da vida privada, uma conquista fundamental do processo de modernização ocidental e das democracias nele fundadas, baseado na secularização das instituições, na liberdade individual e no pluralismo dos estilos de vida. Esse abandono ou moderação discursiva acerca das questões de gênero e sexualidade possibilitaria uma renovação importantíssima às instituições religiosas e, na verdade, é, conforme acredito, o caminho por excelência que elas devem tomar neste século XXI.

Palavras-chave


Instituição Religiosa; Fundamentação; Gênero; Sexualidade; Moderação.

Texto completo:

PDF