A Natureza e o Sagrado em Tolkien

Diego Genu Klautau

Resumo


Este artigo trata da concepção da natureza como sagrado na obra O Silmarillion, do autor inglês J.R.R. Tolkien (1892-1973), publicada postumamente em 1977. Este livro reúne diversos textos desenvolvidos durante a vida do autor e apresenta as bases cosmogônicas e teogônicas do universo mitológico de Tolkien, que fundamentaram os romances mais famosos: O Hobbit (1937) e O Senhor dos Anéis (1954). Enquanto professor de filologia na universidade de Oxford entre 1925 e 1959, Tolkien teve contato com diversas abordagens teóricas sobre mitologia, especialmente a fenomenologia da Religião. É nesta interface entre fenomenologia e literatura, através das obras de Mircea Eliade (1907-1986), que é possível traçar a concepção de sagrado presente na descrição da criação da natureza na narrativa de Tolkien.


Texto completo:

PDF